Quais as diferenças de tumor maligno e benigno?

By

A classificação dos tumores em benignos e malignos baseia-se nos efeitos que eles têm sobre o organismo do hospedeiro.

Basicamente, a diferença entre benigno e maligno é definida pela aparência e estrutura das células atacadas pelo tumor. Os tumores benignos são constituídos por células bem semelhantes às que os originaram e não possuem a capacidade de provocar metástases. Já os malignos são agressivos e possuem a capacidade de infiltrar outros órgãos.

A multiplicação celular é controlada pelos chamados oncogenes ativadores, que regulam o crescimento e a morte da célula. No tumor benigno há uma mutação na estrutura genética dos oncogenes, mas nada capaz de tira-la do eixo. O mesmo não ocorre com os tumores malignos, que crescem sem controle por conta da alteração genética.

Câncer

O câncer pode ser definido como uma alteração celular, uma célula do organismo passa a se replicar de maneira desordenada e descontrolada dando origem a uma neoplasia (popularmente conhecida como tumor).

Nosso organismo é formado por milhões de células, que diariamente se “renovam” em um processo natural chamado de divisão celular. Todos os dias as células se replicam, mas existem os mecanismos de defesa, uma espécie de inibidor, que impõem o limite até onde elas podem se multiplicar sem gerar um tumor.

Se, por uma série de fatores, genéticos ou adquiridos, esse freio da divisão celular é comprometido, há o risco do desenvolvimento de um câncer. O câncer nada mais é do que um conjunto de células que adquiriram a capacidade de um crescimento anormal.

Em condições normais, a divisão celular é responsável pela formação, crescimento e regeneração dos tecidos saudáveis do corpo (oncogenese). Mas ao perder a capacidade de frear seu desenvolvimento, a célula forma um tumor (câncer), que pode invadir tecidos e órgãos e espalhar-se pela corrente sanguínea ou pelo sistema linfático, processo denominado como metástase, e considerado um dos piores estágios do câncer.

As maneira mais comum do tratamento de câncer e a quimioterapia, que consiste na utilização de drogas, injetáveis ou por via oral, com o objetivo de destruir ou bloquear o crescimento das células cancerosas, conhecida por provocar a queda dos cabelos. A queda de cabelo (alopecia) ocorre porque a quimioterapia afeta principalmente células que se multiplicam com frequência, como as do cabelo.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0